domingo, 27 de julho de 2014

Cânticos Sagrados






“A sabedoria ancestral da Índia e do mundo são realmente uma, uma base para ver o mundo diferente e solucionar os problemas que a humanidade tem.”


  
Queridos devotos, da Áustria envio o chat de hoje. Estamos viajando em um ritmo de um país por dia e para não nos desesperarmos fazemos as reuniões ao lado de rios e lagos para poder aproveitar a bela Mãe Natureza em todos seus aspectos misericordiosos.
Neste momento estou falando com Gandharvika, a artista da Áustria, estamos planejando mais festivais de Chaskis. Estou convidando para assim que puder, ela ir à América do Sul e fazer uma turnê de Chaskis por todos os templos.
Já amanhã vamos para a Hungria a uma Mela de 6 dias onde poderei recuperar alguma força. Lá teremos mais calma. Do Yatra da Alemanha posso contar que eles acabaram de preparar a Arte do Sadhana de Srila B. P. Puri Maharaj para começar a distribuir.
Quando se viaja pela Europa pregando, você se dá conta do néctar de pregar na América do Sul. Como é dito: não sabemos o que temos até perdê-lo. Assim, eu posso dizer que recebi muita misericórdia ao poder representar a Srila Prabhupada com vocês em qualquer lugar do mundo.
É lindo abrir uma missão em qualquer lugar do mundo, mas acredito ser muito duro quando seja na Europa. A quantidade de projetos que há na América do Sul é uma grande fortuna de conhecer, além de ter os devotos cheios de tanto entusiasmo, mas há uma coisa muito interessante para todos nós, é que todas as pessoas na Europa estão interessadas nos povos ancestrais.
Por esse lado, pode-se mostrar que a sabedoria ancestral da Índia e do mundo são realmente uma, uma base para ver o mundo diferente e solucionar os problemas que a humanidade tem. Por isso acredito que estamos em um momento histórico onde se estão dando circunstâncias que, do meu ponto de vista, são um prognóstico positivo para o Planeta.
Nos últimos dias estive descobrindo trabalhos da Vrinda que não havia visto, apesar de não serem tão novos talvez pela saturação de materiais, pois passam por mim materiais muito importantes. Por exemplo, Gandharvika oferece um novo video clip que se chama “Wake up, sleeping soul” no Youtube para que todos vejam: https://www.youtube.com/watch?v=UCBozWAJJKQ Ou a madre Gita Manjari que tem um lindo video clip de Gopinath, com a melodia de Ave Maria: https://www.youtube.com/watch?v=B4dw6U51_-8 .
Mando a todos meu carinho. A festa dos 30 anos da Missão Vrinda, estamos celebrando de todos os lugares, em especial fazendo cânticos sagrados em todas as águas do mundo.

Seu sempre bem-querente,
Swami B. A. Paramadvaiti.

domingo, 20 de julho de 2014

Notícias!





“Acredito que a expansão da Consciência de Krishna se manifestará simultaneamente quando as pessoas virem que os devotos são aliados da luta pelo bem-estar do Planeta, junto com todas elas.”





            Meus queridos devotos, mando meu afeto da Alemanha. Esta é uma pequena mensagem para o Chat Dominical da Europa, tenho notícias muito lindas para compartilhar com todos vocês.
            Faz dois anos que escutei pela primeira vez a produção musical de Nrsimha prabhu chamada: “Abre Serra, renasce Bakata.” Nesse momento fiquei fascinado com a música da Serra Nevada da Colômbia, com os cantos dos Mamos (os sacerdotes da Serra) e o exemplo inspirador de líderes como Ati Quigua. Pouco depois disto conheci pessoalmente a Ati e desenvolvemos uma conexão com todo o projeto que eles estavam desenvolvendo. Logo, viajamos com um grupo de devotos ao Brasil a participar do encontro Rio+20 onde formamos um grupo ativista que pregava sobre a proteção à Mãe Natureza e aos animais. Lá se fundou oficialmente o Pacto Mundial Consciente com Vandana Shiva e outras organizações e ativistas.
            Em todo este trabalho, tanto eu como os vaishnavas participantes nos mantivemos sob o perfil, mas apoiando todas as iniciativas, isto porque se as pessoas sentissem uma liderança muito forte dos devotos poderiam dar menos importância à mensagem. Consciência e participação de todo mundo era a mensagem principal.
            De volta à Colômbia recebi o convite de Mamo Lwntana para participar na fundação de Ikwashendwna, o Pacto dos Guardiões da Natureza. Oferecemos apoio ao Mamo Lwntana e ele declarou que Ikwashendwna e o Pacto Mundial Consciente eram a mesma coisa. Assim, o apresentamos como Pacto Mundial Consciente – Ikwashendwna. Em seguida, Mamo Lwntana definiu que os Guardiões da Natureza seriam conhecidos como “Naturagentes” e a partir disso, surgiu a ideia do Chaski-fest como um organismo de promoção do Pacto Mundial Consciente.
            Na fundação do Pacto Mundial Consciente – Ikwashendwna participaram os líderes musicais muito conhecidos na América do Sul e no mundo: Hector Buitrago (Aterciopelados) e David Jaramillo – Nrsimha Das (Doutor Krapula), além de outros amigos, músicos guardiões e ativistas pela Mãe Terra. Depois da fundação do Pacto Mundial Consciente – Ikwashendwna, recebi o convite de outro Mamo, Antonino, para criar um esforço comum de educação chamado Universidade da Sabedoria Ancestral (UDSA) cujo propósito principal é se tornar uma fonte de conhecimento para os irmãos nativos sobre a realidade da modernização, seu impacto e perigos. Para este propósito, tive também a grande fortuna de receber em mão do venerável educador mexicano Eduardo del Rio (Rius) a colaboração de todas suas mensagens conscientes para difundi-las e serem utilizadas por quem queira se beneficiar por elas.
            Simultaneamente pudemos conectar a lei originária dos povos ancestrais andinos conhecidos como “Ley Se”, com os princípios universais praticados pelos habitantes dos Himalayas no Oriente. Esta amizade entre os grupos vaishnavas e as tribos originárias no mundo, entre a doutora Vandana Shiva e a líder Ati Quigua marcou o início e iluminou um novo compromisso de trabalho que coincidiu com o lançamento de produções musicais de grande impacto na América do Sul: “Vozes da Patagônia” no Chile e “Ama-zonas” por David Jaramillo e o Coletivo Jaguar na Colômbia.
            Nestes dias estive falando com David Jaramillo – Nrsimha Das, sobre a necessidade de reviver a campanha de “Abre Serra, renasce Bakata” de forma sólida. Lá ele entregou completamente ao nosso cargo a promoção desta campanha para utilizá-la em conexão com o Pacto Mundial Consciente e com a Sabedoria Ancestral dos nossos guardiões. Deu-me muita alegria saber disso e essa é a notícia que queria compartilhar, porque esta linda produção não foi ainda suficientemente promovida a nível universal e ainda é desconhecida. Claro, tem que considerar sempre que estas três grandes produções das quais falei hoje: “Abre Serra, renasce Bakata”, “Vozes da Patagônia” e “Ama-zonas” (http://news.spoonrevolution.com/es/arte/ama-zonas-dr-krapula/) são totalmente doadas por seus autores e é do interesse de todos trabalhar para que a máxima quantidade de pessoas no planeta obtenha esta música e possa se entusiasmar e beneficiar com ela. Assim, mais pessoas serão conscientes do que acontece e poderão se unir nesta campanha.
            Assim como os Andes, os Himalayas foram ameaçados por centenas de represas e devem ser protegidos, pois a água para que milhões de pessoas sobrevivam está em perigo. Desta forma, esta luta é de grande importância para o Planeta e eu me sinto muito feliz de que possamos ser parte dela. Um ponto importante desta luta foi a campanha iniciada na Colômbia por Ati Quigua para reconhecer os direitos da Mãe Terra e dar o benefício de ser considerada uma pessoa jurídica e poder ser protegida legalmente da exploração.
            Esta campanha de Ati foi tomada na Europa por outra ativista que Krishna pôs no nosso caminho, seu nome é Mimta Ito, ela está trabalhando fortemente na preparação desta proposta frente ao Parlamento Europeu, ela convidou ao Pacto Mundial Consciente – Ikwashendwna a ser parte desta campanha. Assim, o chamado dos Andes para proteger à Mãe Natureza pode chegar a todos os cantos do mundo. Podemos apresentar esta campanha junto com outros esforços e serviços que faz o Pacto Mundial Consciente e a Universidade da Sabedoria Ancestral, melhor dizendo, está se formando uma linda aliança de amizade da qual podemos formar parte e nos tornarmos representantes. Dessa maneira, seremos participantes de todas as lutas que se realizam ao redor do Planeta pela proteção da Mãe Terra.
            Os vaishnavas se apresentam em toda esta dinâmica mediante a distribuição de prasada. Vaishnavas se notam na cozinha, porque o amor começa no estômago e se distribuirmos prasada às pessoas, então seus corações se encherão de amor e melhorarão sua consciência.
Por favor, queridos devotos, considerem que tudo o que acabo de contar são arranjos do próprio Senhor Krishna, eu nunca imaginei que todas estas conexões e fatos aconteceriam. Através do programa Chaski-fest podemos chegar a milhões de pessoas com a distribuição de prasada, convidando-as a cantarem os Santos Nomes do Senhor e aprenderem mais sobre a cultura vaishnava.
            Pessoalmente, acredito que a expansão da Consciência de Krishna se manifestará simultaneamente quando as pessoas virem que os devotos são aliados da luta pelo bem-estar do Planeta, junto com todas elas. Por isso, uma das tarefas que atenderemos nesse tempo será um novo desenho e promoção do disco de “Abre Serra, renasce Bhakata” para distribui-lo em todos os festivais culturais e inclusive no sankirtan. Também devemos começar a lançar o Pacto Mundial Consciente – Ikwashendwna. Temos o apoio de David Jaramillo e o Coletivo Jaguar (Nrsimha prabhu) quem seguramente serão premiados rapidamente por sua excelente produção.
            Trabalharemos de vários lugares para cumprir com estas tarefas. Junto a Aradhya prabhu trabalharemos em um filme profissional que nos permitirá difundir tudo isso de forma muito séria.
Isso que queria compartilhar em relação ao serviço que estamos fazendo no Pacto Mundial Consciente. Por outro lado, quero contar que me sinto muito satisfeito pelo maravilhoso auge que tem a distribuição de livros, graças ao grupo de sankirtan liderado por Thakur prabhu. Acredito que no futuro fluirá muito mais energia neste campo, especialmente na distribuição de materiais didáticos, como o novo curso de Yoga Inbound por correspondência.
            Meus queridos, não devemos esquecer o principal de tudo: somos uma comunidade vaishnava que está buscando ganhar o coração e a amizade das pessoas para servi-las melhor e mostrar o conhecimento transcendental. Nossa presença na América do Sul com as Eco Yoga Aldeias é de máxima importância, pois a pregação aos voluntários que nos visitam é realmente de grande impacto, é algo que acaba de começar e terá muitos bons resultados. Também nossa presença na Índia e a participação em festivais como o Kumbha Mela tem sido muito importante.
Espero que possamos nos tornar instrumentos do amor de Krishna e de Srila Prabhupada. Srila Prabhupada que foi um grande defensor da Mãe Terra nos dê suas bênçãos, que sua glória e a do Senhor Caitanya, quem nos disse que o Senhor tem milhares de nomes para invocar Sua misericordiosa presença, se difunda desta forma. Pelo menos assim experimentamos no dia da fundação de Ikwashendwna ao cantar toda noite com os aruhacos, koguis e outros, os diferentes Nomes de Deus e dançarmos sem parar até a meia-noite sentindo que uma bênção está chegando a nós.
Eu não imaginei que o cântico do Kumbha Mela de Ganga Mai circularia no planeta. A Serra Nevada da Colômbia chamada Coração da Terra está efetivamente se tornando famosa em toda Terra.
Terminamos o Chat de hoje. Lembrem que é dizendo, fazendo e pronto.

Seu sempre bem-querente,
Swami B. A. Paramadvaiti.

domingo, 13 de julho de 2014

Guru Purnima





“Compreender a importância do mestre espiritual na nossa vida significa ver ao Guru e a Krishna em todas as pessoas que te rodeiam durante todos os dias do ano e atendê-las como se fossem os próprios Guru e Krishna.”

  

          Queridos devotos, recebam todo meu afeto no dia de Guru Purnima. Hoje é um dia especial para se lembrar da luz de Srila Prabhupada, essa luz de Prabhupada é minha vida e alma. O Guru é quem cuida e guia, o princípio universal do mestre espiritual também se manifesta através dos siksa-gurus, quem nos ensina e cuida diariamente. A todos eles celebramos hoje no dia de Guru Purnima.
            Em nossa vida cometemos um erro tantas vezes que se transforma em risco: Apreciamos facilmente pessoas famosas, ricas, importantes, aqueles que têm coisas que nós não temos. Gostamos de tirar fotos com eles, pois se eu estiver com alguém importante, eu também adquiro importância, é como dizer: “Olhe, estou nesta foto com Vandana Shiva” ou até com o Dr. Krapula. Eles são pessoas importantes e eu quero ser importante também, o problema é que no minuto que eu começo a me sentir importante deixo imediatamente de ser importante.
Por que digo isso? Porque o principal não é o Guru que viaja para todo lugar e tem muitos discípulos, o Guru que tem muitos seguidores... E como é alguém importante, quero tirar uma foto com ele. Não, o principal é aquele Guru que te guia diariamente, que cuida da tua vida espiritual, o mestre com o qual se vivencia a vida espiritual.
Guru Purnima é a celebração do Guru – tattwa. É a celebração da manifestação do Mestre Espiritual original. Se eu fizer guru-puja e pensar que ali acabará meu serviço, estarei em um grande erro, porque devo incluir na minha adoração os meus siksa-gurus também, devo atender e servir aquele que está me instruindo. Os pais que guiam seus filhos na vida espiritual também são gurus.
Guru Purnima é a celebração e adoração de todos os Gurus, não só o diksa-guru purnima. Este é o dia para reconhecer e apreciar quem está cuidando de mim, quem é meu guardião, meus bem-querentes, para identificar quem se sacrifica por mim e o que estou fazer por eles. Os comerciantes criaram o dia dos pais e das mães para ganharem mais, mas na verdade ser pai e mãe é todo dia, não só um dia no ano. Assim, Guru não é só o Guru iniciador senão todos aqueles que estão me guiando e protegendo.
Este é um tema complexo. Não se pode simplificar apenas deixando umas flores ao Guru, que me dará um biscoito e ai dou uma doação e pronto. Digo que estive em Guru Purnima. Estamos acostumados a buscar a saída fácil, mas não é tão simples, a aplicação correta é exatamente o oposto. Coloque-se em meu lugar, por exemplo:
- Meu Guru não está neste plano mundano, se foi há vários anos. Eu tenho muitas fotos dele e posso dizer: “Jaya Gurudeva!”, mas a foto não me dirá nada. Tenho lembranças de Prabhupada por ter vivenciado com ele e isso me impacta emocionalmente, mas também me impacta o rosto do devoto que está passando muito mal na sua vida ou ver a uma criança sofrendo. O que quero dizer? Que o princípio do Guru, o Guru-tattwa se baseia na relação real que tenho com as pessoas que me rodeiam.
Ter um mestre espiritual significa reconhecer que sou discípulo e não sou apenas discípulo do meu mestre espiritual iniciador senão das pessoas que estão me cuidando e guiando diariamente. É no contato diário onde reside o Guru-tattwa. Nós meditamos no Guru que está por cima de tudo e acaba que o Guru também está ao teu lado chorando na forma das pessoas que te rodeiam e você não presta atenção porque está muito ocupado olhando o céu, meditando no teu Diksa-guru e lhe oferecendo flores enquanto só dá patadas no outro Guru a sua frente. Por que digo tudo isso? Porque quero que tenham uma visão mais ampla, talvez não seja fácil de digerir.
Para mim, meu Guru está sentado na minha frente dando um monte de instruções através dos seus devotos. A aplicação prática do princípio do Guru-tattwa é muito exigente, porque não podemos ficar perdendo tempo em frente ao Guru, não se pode ser preguiçoso e se todos os que me rodeiam são manifestações do Guru, isso significa que devo estar sempre alerta. É muito importante isso.
Neste momento, lembro de Srila Bhakti Ballabha Tirtha Maharaj, que é um dos meus Siksa-gurus e que, atualmente, está com um pé neste mundo e outro no mundo espiritual. Fisicamente rodeado dos seus queridos discípulos em Calcutá que estão constantemente lhe cantando há meses, pois sabem que Gurudeva pode ir a qualquer momento e não retornar.
Uma vez, Srila Tirtha Maharaj descreveu alguns dos tipos de discípulos, com certo humor. Do que me lembro, um era o “sempre eu”, o discípulo que recebe uma instrução do Guru e na mesma hora diz: “Por que sempre eu?”. Outro dos tipos de discípulos é “a flecha”, que é o que recebe um serviço do Guru e diz: “Sim, meu Gurudeva, às ordens”, sai disparado como uma flecha, mas nunca volta. Outro é o “passa-cargos”, a quem o Guru diz: “Meu querido discípulo, por favor, faça isto que é urgente” e o discípulo diz: “Sim” e logo vai ao outro devoto e diz: “Gurudeva disse para fazer isso logo que é urgente.” Assim, Srila Tirtha Maharaj ria um pouco das relações dos discípulos e nos ensinava com muita profundidade a nos convertermos em bons discípulos.
O momento da partida do mestre espiritual é algo muito forte. Os devotos sabem que seu Guru está indo diante de seus olhos, é algo muito doloroso. Dando um exemplo mundano de hoje em dia: É como viver em câmera lenta o gol que faz perder a partida de futebol, tão lento que quase não se vê o movimento, mas sabe como vai acabar tudo. É um sentimento muito forte, uma emoção muito forte.
Srila B. R. Sridhar Maharaj disse aos meus irmãos espirituais: “Teu Guru partiu, agora deve se render à Verdade.” Claro, alguns levaram a mal e sentiram que estava dizendo que não eram rendidos, mas Srila Sridhar Maharaj estava instruindo que sem a presença física do Guru eles deviam se aprofundar ainda mais e se render ainda mais para realmente ter amor e devoção que são obtidos pela graça do Guru. Nossos Gurus estão nos chamando em todo lugar, os irmãos espirituais, as almas buscando a Krishna, todos eles são nossos exemplos, todos eles são nossos mestres e devemos atender. É pura misericórdia.
Além disso, estes mestres se queixam se não estivermos ativos em nossa vida espiritual, nos chamam a atenção para que nos centremos no serviço, isso é mais misericórdia. Esse é o serviço do mestre espiritual, educar ao discípulo. Então, devemos apreciar a todos aqueles que estão nos educando, o pior é um mestre que não diz nada ao discípulo, assim o discípulo pode fracassar em sua tentativa e o mestre não diz nada.
Quando se é um devoto novo, faz tudo o que o Guru diz. Gurudeva diz: “Venha aqui” e o devoto vai, Gurudeva diz: “Faça isso, faça isso outro” e o devoto faz, Gurudeva diz: “Não faça isso” e o devoto não faz. Assim é. É uma época muito bonita, somos neófitos, até um pouco bobos, porque cometemos muitos erros. Mas quando já estamos muitos anos na Consciência de Krishna as coisas mudam, o Guru já não diz ao devoto tudo o que deve fazer a cada momento, lhe dá mais espaço para desenvolver seu próprio critério. Então, ai vem o difícil, porque o devoto sabe refletir e meditar muito: “O que faço, como faço...”, esta é uma etapa mais avançada onde tudo se torna mais espontâneo, onde se supõe que já sabe tudo o que tem que saber e deve aplicar e provar teu critério, onde a rendição deve ser mais profunda, porque ao Mundo da Rendição apenas entram rendidos.
Srila Sridhar Maharaj usou a fase: “Morrer para viver”. Se quiser viver no nível eterno, então deve morrer no nível do ego, dos caprichos, do apego ao dinheiro, a preguiça. Para viver no Mundo da Devoção deve se livrar completamente de toda luxúria egoísta, da indiferença, da cobiça. Srila Sridhar Maharaj também disse que no Mundo Espiritual tudo é superior a nós, por isso se diz que no Mundo Espiritual se deve caminhar de cabeça baixa para não ofender a todas essas entidades que estão servindo ao Supremo. Devemos seguir o caminho do serviço devocional dia após dia, isso é o que devemos aprender. Por isso, Guru Purnima não é uma celebração de um dia no ano, não é algo tão fácil e barato.
Compreender a importância do mestre espiritual na nossa vida significa ver ao Guru e a Krishna em todas as pessoas que te rodeiam durante todos os dias do ano e atendê-las como se fossem os próprios Guru e Krishna. Porque se ao mestre não atender na prática, então não serve de nada. Significa que não está em nada. Se o serviço estiver bem dirigido, então se converterá em uma Guru-puja, serviço que não estiver centrado não será uma Guru-puja.
O que fazemos ao mestre espiritual deve ser com a melhor das intenções de perfeição. O caminho do Bhakti não é medíocre, o caminho da Bhakti é um presente divino, onde devemos nos tornar responsáveis e cumpridores, e se não chegarmos a desenvolver devoção espontânea, devemos manter como ideal e nos dedicarmos a cumprir com o serviço da melhor forma, dia após dia. Pelo menos tem que cumprir. Não ser um “chichipato” (tonto), como dizem na Colômbia, lá também dizem: “Este tipo no cumple ni años”, confirmando que há pessoas que não cumprem com nada. Ao contrário, devemos nos tornar muito cumpridores. É muito importante cumprir com os 4 princípios, com as atividades devocionais, com o canto do Santo Nome, com a pregação... É importante cumprir com os demais. Cumprir, cumprir e cumprir. Só depois de cumprir, a espontaneidade poderá se desenvolver.
Este dia de Guru Purnima o celebramos como uma festa participativa, não como uma festa de vagos, pois participar em coisas concretas do serviço é Guru-tattwa, sacrifício concreto diário, no controle dos sentidos, no serviço, no coletar Lakshmi para Krishna, no estudo das Escrituras, na atenção à Deidade, no se alimentar apenas de prasada. Sacrifício concreto em compreender que Krishna e Guru estão representados por todas as pessoas.
Deve se lembrar que quando vai a sankirtan se encontra com teu próprio mestre espiritual na rua e é a ele quem conecta com o templo. Como isso? Pois essa alma que está na busca está te mostrando o que tem que fazer, está te dando serviço. É algo incrível, aquele que está buscando a Verdade te mostra Verdade e você também está buscando a Verdade. E pode até ser que esse alguém tenha mais ansiedade que por encontrar essa Verdade e que esteja te lembrando a razão disse que você havia esquecido devido ao costume.
Meus queridos, devemos trabalhar com dedicação pela causa, com a consciência de que nunca vou ser um mestre espiritual, porque sou muito caído e insignificante e, ao mesmo tempo, estudando com o mestres e aprendendo deles. Eu estive na escola de Srila Prabhupada e por isso há muito a esperar de mim, pois Srila Prabhupada mesmo me ensinou.
Assim, se me convidam a falar ou me fazem perguntas, devo atendê-los em nome de Srila Prabhupada, se não o fizesse me tornaria um traidor. Para avançar espiritualmente devemos nos preparar para entregar o que recebemos do mestre espiritual e se não estiver seguro de tudo que te entregaram, então leia seus livros e se associe com os devotos avançados que cantam suas glórias.
Para finalizar este Chat quero comentar algo muito interessante; estamos trabalhando com uns grupos na internet que apoiam para que certos projetos pioneiros sejam financiados. Estes projetos devem ser apresentados com todos seus detalhes personalizados: o nome do encarregado do projeto, onde está, supostamente, materiais, tempo de desenvolvimento, etc. Inclusive, um projeto como uma fazenda pode apresentar diferentes projetos relacionados, como: hospedagem para voluntários, cozinha coletiva, sala de conferências, etc., também se pode incluir projetos como a edição de um livro particular, a produção de um filme ou de uma gravação musical. Eu rogo para que aproveitem esta possibilidade e que apresentem tudo o que gostariam de pedir para seus respectivos projetos encarregados.
Coletem a informação e documentação e enviem ao Office BAP para a revisão, eles informarão se falta algo e logo organizarão para apresentá-lo legalmente. Por favor, atendam este pedido o mais rápido possível, incluindo todos os detalhes técnicos: a conta bancária, local do projeto, etc. Enviem todas as solicitações ao p. Pancatattwa, por favor.
Queria compartilhar isto para que possamos melhorar nossas oferendas de serviço ao mestre espiritual neste dia de Guru Purnima.
Obrigado por ler esta mensagem.
Jay Srila Prabhupada!

Seu sempre bem-querente,
Swami B. A. Paramadvaiti.